Divindades – Criadores e Criaturas

Seja em um universo mono ou politeísta, os “Deuses” estão presentes na maioria das criações de fantasia. Sendo admirados, respeitados, odiados, temidos…,  eles são representados com poderes muito superiores aos dos mortais. Para a arrogância de uns e inveja dos outros.

O mitólogo Joseph Campbell afirma que existe um Mito “original”, do qual todos os outros derivam, sendo modificados de acordo com o filtro cultural e geográfico. Afinal, os egípcios do delta do Nilo não têm a mesma ideia de deuses que os escandinavos do norte da Europa, mas podemos encontrar paralelos entre eles e até com os aborígenes da Austrália.

Os deuses são reflexo da cultura de determinada região. Tribos de caçadores rezavam para deuses com características diferentes daquelas com conhecimento agrícola. Enquanto os primeiros idolatravam a Grande Lua que iluminava as noites de caça e pediam a sorte para encontrarem uma boa presa, os outros veneram a Terra e Chuva, entre outros, e pediam pelo bom tempo. Da mesma forma, povos guerreiros oravam pela vitória nas batalhas e consideravam que a única morte digna era em combate.

Deuses malignos podiam causar problemas, ou poderiam ter a forma de criaturas selvagens que atacavam os homens. Mais um reflexo da interpretação mística que os povos faziam da natureza. A morte do gado ou a seca era sinal da fúria dos deuses. E para acalmá-los deviam fazer algum tipo de ritual.

A personificação das forças da natureza, como as tempestades e estações do ano, numa época sem recursos para a explicação lógica, pode ser entendida como a mitologia sendo a ciência da época.

A origem de tudo pode ser apenas o sonho de um Criador (Escritor), ou o Caos do início dos tempos passa a ser dominado por aqueles que têm o poder de dominar as forças que estão fora de controle e, a partir disso, construir o mundo.

Outra possibilidade para os deuses, são os seres de conhecimento e poder extremamente desenvolvidos que acabam sendo confundidos com divindades imortais, mas que na verdade são viajantes de outros planetas com alta tecnologia. Essa teoria aparece em “Eram os deuses astronautas?“, do alemão Erich von Däniken e encontra uma base em fatos históricos como a chegada dos espanhóis nas Américas. Os nativos acreditavam que os homens nos navios eram deuses.

Outro ponto que temos que pensar é qual a relação queremos que os deuses tenham com os mortais?

‘Direta’, como na mitologia grega, na qual filhos de deuses com mortais eram comuns; ‘Indireta’ quando existe a influência, mas só se manifestam através de bênçãos e poderes concedidos aos seus seguidores; ‘Intermediada’ como pelos faraós no Egito, que baseavam seu poder nesse contato pessoal ou sendo eles os próprios deuses; pode ser uma história na qual as divindades sejam ‘Ausentes’ como nos dias atuais e acreditar é apenas questão de Fé.

Acho que a pergunta fundamental é: O que os deuses representam na sua história?

A Natureza (ar, terra, água, fogo, chuva, vulcões…)?

O Bem e o Mal (certo e errado; honra e trapaça; conceitos abstratos e subjetivos…)?

Um poder superior que deve ser respeitado/temido?

O ciclo da Vida (nascer, crescer, multiplicar e morrer)?

Ou, simplesmente, a Fé de acreditar?

Todas as opções — e mais algumas — podem ser usadas na mesma história. A diversidade de crenças no nosso mundo é a prova que povos diferentes acreditam valores e divindades diferentes.


Siga o Henrique no Instagram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s