O Arpoador de Promessas: Capítulo 1 – O Empório dos Sonhos

Título: O Arpoador de Promessas: Capítulo 1 – O Empório dos Sonhos | Autor: Jadiael Viana | Editora: Drago Editorial | Gênero: ficção, literatura brasileira | Páginas: 328 | Ano de publicação: 2018 | Nota: 4,0/5,0


Esta semana, nós do Crônicas Fantásticas resolvemos trazer até vocês um livro brasileiro com um quê investigativo muito próprio de autores estrangeiros que agradam ao gosto nacional. O Arpoador de Promessas é um livro que não se prende a clichês. Digo isso pois a premissa dos personagens principais serem irmãos gêmeos nos remetem a outros personagens no mesmo estilo (como Ruth e Raquel, Paulina e Paola) onde ambos são contrapartes extremas. Pavel e Rafael são sim iguais em aparência, diferentes em personalidade, mas não são bem e mal. São contrapartes da mesma persona que se dividiu em algum momento durante sua criação.

Jadiael, o autor, começa impressionando com uma linguagem a que não estamos acostumados e me lembrou muito a narrativa de autores do barroco e romantismo brasileiro. Não nego que às vezes, no início da leitura, tinha que reler duas vezes algumas passagens, mas tudo isso não passa de adaptação. Com o passar do tempo, percebemos que o tom esmerado da linguagem faz reflexo ao que os próprios personagens principais são.

pavel-rafael.png

Nascidos num núcleo familiar abastado, Pavel e Rafael são nos apresentados como criaturas distintas e harmônicas. Filhos de Deborah e Raul Vidal, moram numa mansão gigantesca. Herdeiros de um império gastronômico que está entrando em declínio, o enredo nos leva em suas águas até o momento que uma tragédia se abate sobre os gêmeos.

Encontramos todas as introduções necessárias logo no primeiro capítulo. Lá, o autor nos apresenta os principais atores de nossa jornada. Começando por Deborah, mulher altiva e centrada. Temperada com certas decepções, Deborah comanda com mãos firmes, mas gentis a sua casa e seus filhos. Depois temos Raul, pai dos rapazes, grande empresário que tem em suas mãos um restaurante que se encontra em declínio. Temos também a aparição da família Alves, mãe e irmãs de Deborah. Eva, a matriarca, como toda a avó vê os netos com condescendência. Olívia, a tia fanfarrona e que sempre tem beijos para distribuir nas bochechas dos sobrinhos. E Beatriz, que passou um tempo afastada da família. O motivo disto permanece nebuloso durante quase todo livro.

Também conhecemos Osvaldo e Ricardo. O primeiro é um grande amigo da família. Ele e Raul se ajudaram mutuamente e uma grande gratidão leva Osvaldo a espelhar nos filhos de Raul o apreço que tem pelo amigo. Já Ricardo é uma grande incógnita, que se aproxima da família quando o movimento de Raul ao salvar o restaurante o trás para o palco. Ricardo é envolto num mistério e suspeitas de filiação ao crime de lavagem de dinheiro.

É nesse cenário primordial que a principal tragédia do livro acontece. O casal Vidal é assassinado a tiros deixando como únicas testemunhas os filhos de 10 anos que estavam sentados no banco de trás do carro. Uma pulga que me ficou atrás da orelha foi o motivo pelo qual o assassino não matou as crianças. Agora pensando em retrocesso, talvez esse evento tenha deixado cicatrizes mais profundas do que nos é mostrado de início na persona de ambos os gêmeos.

O tempo passa e a dupla gêmea nos é apresentada já crescida. Próximos ao seu 21º aniversário, os gêmeos esperam completar ano para tomar posse da sua herança deixada por Raul Vidal. Lentamente, as preocupações de Pavel Vidal vão tomando conta da narrativa, sem nunca esquecer os outros personagens, e as cortinas do mistério vão se abrindo lentamente. Novos personagens vão aparecendo e descobrimos problemas muito profundos em todo o cenário. Beatriz é nomeada pelo testamento de Raul Vidal como tutora dos gêmeos e o passar dos anos fez com ela fosse ficando abalada e no final nos deparamos com uma mulher cansada que sente na pele o gosto do fracasso. Ela chama os gêmeos de filhos, mas apenas Rafael parece responder a esse sentimento.

Em paralelo ao drama familiar, temos outros dramas se desenrolando, como uma paixão desenvolvida pela nova empregada aos patrões, dividida entre a suavidade de Rafael e a intensidade de Pavel. O grupo de amigos de Pavel que se vê envoltos num problema com drogas, tocando nesse assunto de maneira a desenvolver o histórico de cada um dos envolvidos. Conhecemos um pouco da história de Osvaldo que vê em Pavel um filho. Assim, o livro vai pontilhando o firmamento de seu enredo com várias estrelas menores a Pavel e Rafael.

Arpoador de Promessas é um livro de romance policial cheio de tensão e mistérios que num ritmo próprio vai se mostrando ao leitor, cativando e nos deixando absortos na leitura. Por vezes, podemos sentir até mesmo que a história se conta aqui, na nossa vizinhança. Talvez pelo cenário de fundo ser o Rio de Janeiro nos sentimos mais próximos dos personagens pensando em quantos outros enredos podemos contar em nossas próprias cidades. Uma leitura gostosa que tem seus momentos de reflexão fazendo o leitor meditar sobre os assuntos abordados. Posso dizer até mesmo que ler este livro me deu vontade de escrever de modo mais requintado.

“O sacrifício existe sim, ele é diário. Sob a égide do livre-arbítrio, ofertamos ao mundo o que há de melhor e de pior em nós. E ainda que os nossos desejos suplantem as nossas vontades, invariavelmente, é nas mãos de Deus que todos repousam. Que os nossos corpos relutantes aprendam a se dobrar diante das grandes verdades, pois prevalece sempre os Seus desígnios, e jamais os nossos.” – Pavel, em O Arpoador de Promessas.

Assinatura_Crônicas - Ana

Siga a Ana no Instagram.

2 comentários Adicione o seu

  1. Jadiael Viana disse:

    Eu não sei o que dizer. É sério, a Ana conseguiu me deixar sem palavras. Ela não leu simplesmente, ela mergulhou fundo no universo Vidal e depois deu vida a essa resenha capaz de tirar o fôlego. É a primeira vez que alguém emite uma avaliação tão competa a respeito do meu livro e eu fico muito feliz que tenha sido positiva. Só tenho a agradecer. E o faço de coração. Deixo aqui o meu abraço ao pessoal do Crônicas Fantásticas. Valeu galera, ficou tudo incrível demais. A arte gráfica é de encher os olhos e a Ana seduz qualquer um com as palavras.

    Curtir

  2. Betti Pellizzer disse:

    Livro maravilhoso! Amo de paixão.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s