Death Note – Netflix

Precisamente no dia 25 de outubro de 2017 a Netflix estreia sua versão da aclamada obra de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata em sua plataforma de streaming. Logo nas primeiras horas após o lançamento, Death Note ganhou uma chuva de críticas e comentários maldosos em relação ao duvidoso roteiro de Charley e Vlas Parlapanides, roteiristas que trabalharam no roteiro de Imortal, além da confusa direção de Adam Wingard, responsável por títulos como V/H/S 1 e 2.

unnamed

O fato é que Death Note decepciona não só os fãs da franquia, mas também aqueles que nunca consumiram nada da obra de Ohba, mesmo tendo um elenco lotado de atores da nova geração, diretores e roteiristas conhecidos e uma publicidade que gerou altas expectativas, o filme não conseguiu agradar a maioria do público da empresa. Não chega a ser uma tortura audiovisual como a maioria dos haters estão espalhando, mas não dá para deixar de notar a semelhança com filmes B de romances adolescentes onde o foco principal são os clichês de românticos e as cenas bobas com o casal, em momento nenhum o fato de um jovem estudante do ensino médio querer se tornar um deus assassinando criminosos, é tratado como o plot principal do filme, que a todo momento se preocupa em mostrar muito mais a relação amorosa forçada dos personagens.

Os furos no roteiro são um caso à parte, com cenas que se contradizem e diálogos inconsistentes a trama não se desenvolve e parece ter sido feita às pressas, deixando claro que os roteiristas não consumiram a obra completa e não se preocuparam em criar uma narrativa no mínimo coerente.

O filme tenta dar um enfoque na motivação do Light, falando de traumas pessoais do passado, mas a trama não se sustenta quando o mesmo demonstra que sua real motivação é basicamente impressionar a garota mais gatinha da escola. Os dois se unem quase que de imediato na missão de construir um novo mundo, mas Light deixa claro que não passa de um moleque imaturo quando é confrontado por L e praticamente confessa que ele é o assassino conhecido como Kira.

Eu realmente queria falar que este filme tem algo de bom, que eu gostei de uma atuação ou outra, mas infelizmente isso não é possível. Nem com atores como William Dafoe no elenco o filme consegue se segurar. A impressão que tive durante todo o filme é que estava vendo um skit do Saturday Night Live (na verdade, acho que o SNL ainda é melhor, porque ao menos eu consigo rir de algumas piadas)

No geral, Death Note da Netflix é um filme muito abaixo da média, mas que pode agradar alguns fãs mais jovem que ainda não tiveram contato com as obras originais. Talvez o que poderia ter salvo o longa, seria uma mudança no nome dos personagens e a criação de uma história completamente independente do anime, com elementos que deixasse claro de que não se trata de uma adaptação, mas sim de um spin off. Algo que mostrasse o sucessor de Kira ou uma história em que o Ryuko se cansa do Japão e vai criar o caos nos estados unidos.

Para alegria de uns e tristeza de outros, foi anunciado recentemente que a Netflix já está trabalhando numa continuação do longa.

Nota: 1/5

Assinatura_Crônicas - Neto

Sigam o Neto no Instagram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s